domingo, 30 de maio de 2010

A economia
"...A "pobreza" significa ganhar pouco; ao "indigente"  faltam víveres, alimentação, ele tem fome; enfim, o "miserável não tem casa, não tem domicílio. Esta gradação, pouco dinheiro, falta de alimentação, ausência de habitat, é uma gradação econômica. O termo economia, oikos em grego, quer dizer casa. Em consequência o miserável vive fora da economia, e se a economia é a lei do mundo, então o miserável vive fora do mundo...mas, além dessa degradação econômica, ele sofre de três males suplementares. Primeiro, sem medicina nem cuidados, ele sofre fisicamente, a dor cotidiana é o que lhe cabe, sua esperança de vida é bem mais baixa do que aquela dos ricos. Segundo, ele vive na violência, com menos proteção por parte das leis que os ricos tem. Enfim, também lhe falta  educação, cultura e ciência. Saúde do corpo; proteção frente à violência coletiva; acesso à formação...Subitamente, sofrendo ao mesmo tempo do corpo, da violência, e da falta de cultura, o miserável sofre, imensamente, de vergonha. Eis aí a exclusão extrema"
Michel Serres   Petites Chroniques du Dimanche Soir 1 France Info & Editions Le Pommier p. 158-159  2005 Paris
 
Saudações da pARTE do Hélio Rôla
 

2 comentários:

Ludovica Muluc disse...

les miserables.
que invenção foi essa que fizemos?

Edilson Pantoja disse...

Olá, obrigado pela indicação do espaço!
Sobre a miséria, deplorável...
Abraço!